Indústria de Bike fecha bimestre em crescimento….

A indústria de bike fecha o primeiro bimestre com crescimento de 14% no volume de produção, vale ressaltar que são de fábricas instaladas em Manaus.

Muito bom saber que o mundo do ciclismo está crescendo ao redor do país, isso gera emprego, saúde, bem-estar e qualidade de vida para quem utiliza as “magrelas”. O nosso país precisa aprender a trabalhar com prevenção, e a bike é uma excelente ferramenta para isso. Mas falaremos mais sobre isso em outra ocasião.

Vamos aos dados da produção…

Em janeiro e fevereiro, somados, saíram da linha de produção de todas essas fábricas instaladas, 98.531 bikes. O mesmo período do ano passado havia registrado o número de 86.448. Os dados a seguir são da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.

bikes coloridas
Mercado de bikes em crescimento.

As expectativas são as melhores para o ano de 2018, caso a produção continue nesse ritmo no decorrer do ano. Com estimativa de produção de 727 mil unidades, somente no polo industrial de Manaus. O ano de 2017 produziu 667.363 bikes no mesmo polo.

Esse resultado confirma a tendência de evolução nos negócios para o ano corrente, para atender à demanda crescente por bikes com tecnologia mais avançada e maior valor agregado, segundo o vice-presidente do segmento Bicicletas da ABRACICLO, João Ludgero.

Mesmo com números positivos no acumulado, houve recuo em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017. Foram produzidas 46.320 bikes, queda de 10,2%, sobre o 51.599 unidade produzidas no mesmo mês do ano passado.

Já na comparação com janeiro 52.211 unidades, a redução foi de 11,3%. Segundo Ludgero, trata-se de uma queda pontual devido ao feriado do Carnaval, que neste ano aconteceu no meio de fevereiro.

Resultados por Categoria…

Foram registrados 23.262 de bikes Urbana , queda de 21,9% sobre janeiro (29.776). MTB, foram produzidas 22.188 bikes, resultado mensal 1,2% superior ao mês anterior (21.918). Estradasomou 870 bikes, aumento de 1,9% sobre janeiro (517).

Ranking: Urbana 50,2%, MTB 47,9% e Estrada 1,9%. De acordo com Ludgero, o seguimento das MTB tem crescido porque é muito utilizada nas cidades e no off-road.

Importação e Exportação

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a importação de bicicletas em todo o território nacional totalizou 24.562 unidades no primeiro bimestre, uma alta de 14,6%, sobre o mesmo período de 2017(21.439).

Nessa análise, só no mês de fevereiro teve um volume de 7.047 unidades importadas, o que demostra queda de 31,2% sobre o mesmo mês do ano passado(10.238). Já na comparação com janeiro, (17.515), houve redução de 59,8%.

E já as exportações registraram aumento de 108,6% sobre o mesmo período do ano passado. Foram produzidas 1.410 bikes no primeiro bimestre frente aos 676 do mesmo período do ano passado. Paraguai (1.392) e Bolívia (18), foram os principais destinos.

Na verificação do desempenho isolado de fevereiro (692), foi verificado aumento de 4.225% na comparação com fevereiro de 2017 (16 bikes).

FonteABRACICLO.

Bom pedal e fique com Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *