Qual a MTB Ideal? Veja.

Afinal de Contas, Qual a MTB Ideal?

Sabemos que existem inúmeras marcas e modelos de MTB. Sem dúvida elas são as mais cobiçadas, até mesmo por causa da diversidade de coisas que podemos fazer e lugares que podemos chegar.

A MTB não nos limita a pedalar somente no asfalto, ou pedalar somente em trilhas e estradas de chão.

Muita gente comenta sobre todos os benefícios de pedalar: saúde, qualidade de vida, mobilidade urbana, agilidade para trajetos médios e curtos, principalmente nos grandes centros. Interação entre pessoas e o meio ambiente e tantos outros benefícios que podemos falar durante uma vida.

Todas os estilos de bike nos permite superar obstáculos, superar limites, mas nada comparável a MTB. Essa modalidade do ciclismo te faz ultrapassar barreiras e vencer limites nunca antes imaginado por muita gente.

Existem atualmente 5 tipos de MTB. Cross Country Rígida, Cross Country Full Suspension, Trail, All Mountain e Downhill. Como o artigo é para o público iniciante e a intenção do artigo é apenas para ter conhecimento de qual bike escolher, vou destacar somente os dois primeiros tipos. Cross Country Rígida e Full Suspension, que são as mais vendidas.

Mas… Antes de mais nada é importante você saber quais são os componentes que compõe uma bicicleta MTB. Borá!

Categorias de MTB.

lista dos componentes de uma mtb
Fonte: Manual de MTB e Cicloturismo de Guilherme Cavallari.

partes da bicicleta mtb
Fonte: Manual de MTB e Cicloturismo de Guilherme Cavallari

Cross Country – Do Tipo Rígida.

Com toda certeza esse é o modelo mais usado e conhecido. Até mesmo porque, até as MTB´S com configurações mais básicas, os modelos de entrada são exatamente assim. Ela conta somente com a suspensão dianteira.

Seu quadro pode ser de ferro, alumínio (mais utilizados com melhor custo x benefício) e carbono. Algumas características importante.

bike trek marlin 4 aro 29 21v 202o cinza com vermelho
Imagem Meramente Ilustrativa.
  • Lazer, mobilidade, atividade física e performance;
  • Possuem relação de 1, 2 ou 3 coroas no pedivela;
  • Em quadros de alumínio e carbono, são leves e resistentes;
  • Atualmente com rodas de aro 26, 27.5 e 29 (as mais conhecidas):

Esse tipo de MTB é muito eficiente e pode ser utilizado no asfalto para mobilidade, estrada de chão, passeio, cicloturismo, lazer, treino e em competições e em trilhas técnicas. Por não ter suspensão traseira, não é um modelo indicado para saltos.

Positivo:

  • Custo x Benefício, recomenda-se inicialmente um modelo com pelo menos 24V e suspensão com trava.
  • Normalmente sua manutenção é mais simples.

Negativo:

  • Redução de conforto em trilhas técnicas e altas quilometragens;
  • Porém, vale lembrar que vai muito da adaptação do ciclista.

Cross Country – Full Suspension

Modelo indicado para recreação e competição. Possui, tanto a suspensão dianteira, quanto a traseira. Contém 1, 2 ou 3 coroas no pedivela.

São bikes extremamente leves e resistentes, apesar de ter modelos de alumínio, a grande maioria dos ciclistas que optam por esse modelo já partem para o quadro de carbono.

santa cruz blur carbono cc mtb 2019
Imagem Meramente Ilustrativa

Dica: se você curte esse modelo de bike Full Suspension e está em busca da sua primeira bike e tem intenção de pedalar em grupo ou fazer um uso frequente da mesma.

Pelo amor de Deus não compre esse modelo de Ferro e aro 26. Elas são extremamente pesadas e ruins de usar.

Atualmente, em sua grande maioria, vêem com rodas aro 29.

Seu uso é recomendável para praticamente qualquer coisa. Subidas, descidas e trilhas técnicas, de preferência sem saltos. Oferece ao ciclista leveza e resistência.

Positivo:

  • Resistência;
  • Eficiência;
  • Conforto para pedais mais longos;
  • Estabilidade e tração;

Negativo:

  • Nesse caso bom e barato não existe;
  • Elas são caras por conta dos componentes;
  • A manutenção delas é cara, por causa das suspensões;
  • Mesmo travada, a suspensão traseira, normalmente dispersa energia do ciclista.

Independente do estilo de MTB que você decidir usar, responda primeiramente as perguntas. Onde quero pedalar? O que pretendo com a bike? Qual será meu uso e frequencia?

Dessa maneira você elimina todo e qualquer empolgação e expectativa. Foque naquilo que você realmente quer e vai fazer. Não invista em algo que você não vai utilizar.

Espero que o artigo tenha ajudado na sua decisão. Qualquer dúvida estou a disposição.

Compartilhe o artigo, acompanhe o Dicas de Pedal nas Redes Sociais. Bom pedal e fique com Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *